Mês nacional da borracha

Apelo do presidente

Em mensagem dirigida à nação, Getúlio Vargas anuncia em junho de 1943 o “Mês da Borracha” e pede a cooperação do povo para o Brasil cumprir o compromisso assumido com os Aliados. “Extraí borracha onde puderdes.”

Baixe o manifesto

Crédito: Biblioteca da Presidência

Firmados importantes acordos entre o Brasile os EE. UU. O mês da borracha

Patrocínio americano

Em maio de 1942, a “Folha da Manhã”, um dos jornais que deram origem à Folha, estampava os acordos que incluíam a extração de borracha brasileira. Em junho de 1943, a Folha reproduzia agradecimento do presidente americano Franklin Roosevelt por telegrama.

“Cada quilogramo [de borracha] é também uma parte dos aparelhos que estão bombardeando os pontos vitais das defesas do ‘eixo’ na Europa.”

Crédito: Folha da Manhã

Mais borracha para a vitória Cada um no seu lugar O equipamento de viagem fornecido pelo SEMTA Rumo à Amazônia, terra da fartura Alista-te no S.E.M.T.A. Cartaz Vai também para a Amazônia protegido pelo SEMTA Cartazes

Arte em cartaz

O artista suíço Jean-Pierre Chabloz, que morava no Brasil, foi convidado pelo Semta (Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a Amazônia) para ilustrar os cartazes e a cartilha da campanha da Batalha da Borracha em 1943. Os quadros convidavam os nordestinos para colaborarem com a vitória na guerra por meio de uma vida de fartura na Amazônia.

Crédito: Museu de Artes da Universidade Federal do Ceará

SEMTA SEMTA SEMTA SEMTA SEMTA SEMTA SEMTA SEMTA

Falsas promessas

Em cartilhas, cartazes e fotos, o Semta detalhava os benefícios oferecidos aos trabalhadores aptos a trabalhar na extração de borracha na Amazônia. O governo prometia assistência médica para a família, percentual nos lucros da borracha e até um pedaço de terra. As imagens mostram o recrutamento, treinamento físico e as viagens dos retirantes até a Amazônia, que podiam levar meses e matou milhares de pessoas.

Crédito: Museu de Artes da Universidade Federal do Ceará