SETOR PRIVADO

VALOR DA PENSÃO

REGRA ATUAL

A pensão equivale à aposentadoria que o segurado recebia ao morrer, ou à sua média salarial, caso ele ainda não estivesse aposentado

R$ 937

é o salário mínimo atual, e ninguém pode ganhar menos do que isso

NOVA REGRA

A proposta do governo reduz o benefício a 50% do que o segurado tinha, mais 10% por dependente, limitado a 100%

Benefício

Viúva sem filhos

Víuva com 1 filho

Víuva com 2 filhos

Víuva com 3 filhos

Víuva com 4 filhos

60%

70%

80%

90%

100%

R$ 562

passaria a ser a pensão de uma viúva sem filhos no caso de um segurado que recebesse o mínimo ao morrer

SETOR PRIVADO

DURAÇÃO DO BENEFÍCIO

REGRA ATUAL

A duração do benefício depende da idade do dependente, sendo maior para os mais velhos e menor para os mais jovens

Idade do dependente na data do óbito

 

Duração máxima do benefício, em anos

até 21

de 21 e 26

de 27 e 29

de 30 e 40

de 41 e 43

44 ou mais

3

6

10

15

20

vitalício

NOVA REGRA

A proposta do governo não muda nada aqui, mantendo as regras da legislação em vigor

Idade do dependente na data do óbito

 

Duração máxima do benefício, em anos

até 21

de 21 e 26

de 27 e 29

de 30 e 40

de 41 e 43

44 ou mais

3

6

10

15

20

vitalício

SETOR PRIVADO

ACÚMULO COM OUTROS BENEFÍCIOS

REGRA ATUAL

A legislação em vigor permite que uma pessoa receba ao mesmo tempo aposentadoria e pensão por morte. Um de cada três pensionistas do INSS também recebe aposentadoria

NOVA REGRA

A proposta do governo proíbe o acúmulo de benefícios. Se a reforma passar como o governo quer, o segurado terá que escolher o benefício mais vantajoso e abrir mão do outro

SETOR PRIVADO

VALOR DA PENSÃO

REGRA ATUAL

NOVA REGRA

A pensão equivale à aposentadoria que o segurado recebia ao morrer, ou à sua média salarial, caso ele ainda não estivesse aposentado

A proposta do governo reduz o benefício a 50% do que o segurado tinha, mais 10% por dependente, limitado a 100%

Benefício

Viúva sem filhos

Víuva com 1 filho

Víuva com 2 filhos

Víuva com 3 filhos

Víuva com 4 filhos

60%

70%

80%

90%

100%

R$ 937

é o salário mínimo atual, e ninguém pode ganhar menos do que isso

R$ 562

passaria a ser a pensão de uma viúva sem filhos no caso de um segurado que recebesse o mínimo ao morrer

SETOR PRIVADO

DURAÇÃO DO BENEFÍCIO

REGRA ATUAL

NOVA REGRA

A duração do benefício depende da idade do dependente, sendo maior para os mais velhos e menor para os mais jovens

A proposta do governo não muda nada aqui, mantendo as regras da legislação em vigor

Idade do dependente na data do óbito

 

Duração máxima do benefício, em anos

Idade do dependente na data do óbito

 

Duração máxima do benefício, em anos

até 21

de 21 e 26

de 27 e 29

de 30 e 40

de 41 e 43

44 ou mais

até 21

de 21 e 26

de 27 e 29

de 30 e 40

de 41 e 43

44 ou mais

3

3

6

6

10

10

15

15

20

20

vitalício

vitalício

SETOR PRIVADO

ACÚMULO COM OUTROS BENEFÍCIOS

REGRA ATUAL

NOVA REGRA

A proposta do governo proíbe o acúmulo de benefícios. Se a reforma passar como o governo quer, o segurado terá que escolher o benefício mais vantajoso e abrir mão do outro

A legislação em vigor permite que uma pessoa receba ao mesmo tempo aposentadoria e pensão por morte. Um de cada três pensionistas do INSS também recebe aposentadoria