MANOBRAS REGIMENTAIS

Aliados tentam evitar cassação de Cunha

O QUE ACONTECE AGORA?

Ação
Pressionada por aliados de Cunha, a deputada Tia Eron (PRB-BA) não apareceu na votação. Seu suplente, Carlos Marun (PMDB-RS), votaria a favor do peemedebista

Reação
Certo de que os deputados absolveriam Cunha, o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo, adiou a votação para a próxima semana

Semana que vem
Relatório deve votado pelo conselho na terça (14), que pode dar parecer acatando a sugestão da cassação ou sugerir punição mais branda

Plenário
Cunha só perde o mandato se ao menos 257 dos seus 512 colegas votarem dessa forma

Eduardo Cunha e Waldir Maranhão

Os deputados Eduardo Cunha e Waldir Maranhão na Mesa da Câmara


MANOBRAS PASSADAS

Amigos
O presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão, propôs mudança nas regras do processo de cassação que, na prática, facilitaria seu arquivamento

Sem petrolão
Maranhão ameaçou anular todo o processo caso o conselho incluísse no relatório final a acusação de que Cunha teria recebido propina

Atrasos
Representação contra Cunha foi protocolada em 13 de outubro de 2015. É o processo mais longo da história da Câmara

Votação anulada
A primeira votação que decidiu dar continuidade à investigação, em dezembro, também foi anulada por Maranhão

Mais aliados
No final de março, Cunha tentou aprovar regra para aumentar a vaga de aliados no conselho, mas recuou