Partido e cargo Citação em delações Outro lado
Eliseu Padilha PMDB-RS
Ministro da Casa Civil
Segundo delação, teria intermediado repasse de R$ 4 milhões ao PMDB em 2014 Diz que não foi candidato em 2014 e que acusação é mentira
Moreira Franco PMDB-RJ
Ministro da Secretaria-Geral da Presidência
Citado 34 vezes na delação de Cláudio Melo Filho, seria o “Angorá” das planilhas Afirma que jamais falou de recursos para o PMDB com os delatores
Aloysio Nunes PSDB-SP
Ministro das Relações Exteriores
Carlos Armando Paschoal relatou repasse de R$ 500 mil para campanha em 2010 Diz que os fatos que envolvem seu nome são mentiras
Bruno Araújo PSDB-PE
Ministro das Cidades
Citado 5 vezes por Cláudio Melo Filho, que disse ter tido contato frequente com o deputado Diz que solicitou doações à Odebrecht, mas que legislação permitia
Gilberto Kassab PSD-SP
Ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicações
Segundo Cláudio Melo Filho, teria recebido R$ 2,1 milhões via caixa dois Diz que doações às campanhas do PSD foram feitas dentro da lei
Eunício Oliveira PMDB-CE
Presidente do Senado Federal
Segundo Cláudio Melo Filho, teria recebido R$ 2,1 milhões via caixa dois Afirma que as doações da Odebrecht foram declaradas
Rodrigo Maia DEM-RJ
Presidente da Câmara dos Deputados
De acordo com Cláudio Melo Filho, recebeu R$ 500 mil em 2010 e R$ 100 mil em 2012 Todas as doações eleitorais recebidas foram legais e declaradas ao TSE
Renan Calheiros PMDB-AL
Senador
Segundo o delator Cláudio Melo Filho, recebeu R$ 500 mil na campanha de 2010 Não comentou lista; já afirmou não haver irregularidade em suas contas
Romero Jucá PMDB-RR
Senador
O delator da Odebrecht afirma que recebeu repasses de R$ 4 milhões em 2010 Disse que “não há demérito em ser investigado, mas em ser condenado”
Aécio Neves PSDB-MG
Senador
Benedicto Júnior diz que pagou R$ 9 milhões em 2014 para PSDB após pedido de Aécio "Valor foi registrado no TSE, segundo PSDB mineiro; diz desconhecer citação"
José Serra PSDB-SP
Senador
Executivos afirmaram que a campanha de 2010, recebeu R$ 23 milhões via caixa 2 Afirma que campanha foi de acordo com lei eleitoral
Edison Lobão PMDB-MA
Senador
Ainda não há detalhes a respeito do suposto envolvimento do senador Afirmou que a delação premiada “deve ser vista com reserva”
Luiz Inácio Lula da Silva PT
Ex-presidente da República
Mencionado em várias delações, inclusive na do patriarca Emílio Odebrecht Não se pronunciará “a partir do que circula na imprensa”
Dilma Rousseff PT
Ex-presidente da República
Marcelo disse que conversou com Dilma, mas não tratou de contribuição Defesa afirmou que não se pronunciará até saber conteúdo
Antonio Palocci PT
Ex-ministro (Fazenda e Casa Civil)
Emílio Odebrecht afirmou que ele é o “Italiano” das planilhas de propina Nega que seja o ‘Italiano’ das planilhas; não comentou lista
Guido Mantega PT
Ex-ministro (Fazenda)
Marcelo Odebrecht disse que Mantega ajudou a aprovar MP que beneficiava a empresa A defesa do ex-ministro não respondeu aos contatos