Imagem de carregamento

O entorno estratégico russo

Europa

 

Belarus

Ditadura se

submete

politicamente a

Putin após apoio

contra protestos da

oposição em 2020

 

Ucrânia

Perdeu a Crimeia e

tem duas áreas

étnicas russas

autônomas desde

2014

 

Moldova

Kremlin mantém

1.500 soldados em

área étnica russa

autônoma desde

1992

Cáucaso do Sul

 

Geórgia

Tem duas áreas

russas étnica

autônomas depois de

uma guerra em 2008

 

Armênia

Governo voltou a se

alinhar a Moscou após

perder guerra em

2020 para o

Azerbaijão

 

Azerbaijão

Tropas russas garantem

acordo de paz com os

armênios

RÚSSIA

Ásia Central

 

Cazaquistão

Autocrata esmagou

revolta neste ano com

apoio de tropas

lideradas pela Rússia

 

Quirguistão

Governo pediu ajuda

a Putin para retomar

controle após

protestos em 2020

Ásia

 

China

Maior aliado do

Kremlin, antagonista

dos EUA na Guerra

Fria 2.0

 

Índia

Aliado americano e

rival da China, mas

com indústria militar

interligada à da

Rússia

Fontes: Folha, Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, Otan

O entorno estratégico russo

Cazaquistão

Autocrata esmagou

revolta neste ano

com apoio de

tropas lideradas

pela Rússia

Quirguistão

Governo pediu

ajuda a Putin

para retomar

controle após

protestos em

2020

Europa

Cáucaso do Sul

Ásia Central

Ásia

Belarus

Ditadura se

submete

politicamente a

Putin após apoio

contra protestos da

oposição em 2020

RÚSSIA

Ucrânia

Perdeu a

Crimeia e tem

duas áreas

étnicas russas

autônomas

desde 2014

Moldova

Kremlin mantém

1.500 soldados

em área étnica

russa autônoma

desde 1992

China

Maior aliado do

Kremlin,

antagonista dos

EUA na Guerra

Fria 2.0

 

Geórgia

Tem duas áreas

russas étnica

autônomas

depois de uma

guerra em 2008

Armênia

Governo voltou

a se alinhar a

Moscou após

perder guerra

em 2020 para o

Azerbaijão

Azerbaijão

Tropas russas

garantem acordo

de paz com os

armênios

Índia

Aliado americano

e rival da China,

mas com

indústria militar

interligada à da

Rússia

Fontes: Folha, Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, Otan

Folha